Tomadas e interruptores modulares de embutir: Você já deve ter reparado que alguns deles possuem um único comando e outros possuem vários, ou até mesmo uma combinação entre tomadas e interruptores.

Podemos fazer diversas combinações de tomadas e interruptores.

Sua instalação é feita com um conjunto de peças que podem ser compradas em kits prontos para combinações simples, ou separadamente, para combinações variadas. É importante que você saiba como essas estruturas se organizam para não comprar itens incompatíveis e nem esquecer algum deles.

Os itens necessários para a instalação das tomadas e interruptores modulares são basicamente quatro: a caixa de passagem, o suporte, os módulos e o espelho.

A caixa de passagem é embutida na parede e é onde se aparafusa o suporte. Os módulos são encaixados no suporte e por cima desse conjunto, encaixa-se o espelho ou placa para suporte, que é o acabamento externo

No entanto, existem conjuntos em que os módulos são encaixados no próprio acabamento externo, nesse caso, o suporte e o espelho para suporte são substituídos pelo espelho sem suporte.

Nesse caso, também temos a caixa de passagem embutida na parede, mas os módulos são encaixados no espelho sem suporte e ele é aparafusado na caixa de passagem.
A diferença entre os conjuntos que usam espelho para suporte (esquerda) e os conjuntos que usam espelhos sem suporte (direita) é que no sem suporte, o parafuso fica visível no acabamento.

Dependendo da quantidade e da forma como os pontos serão organizados, podemos optar por caixas de passagem, suportes e espelhos no tamanho 2×4 ou 4×4 polegadas. Também existe o tamanho 2×2, mas é pouco utilizado.

Além do tamanho, como citado anteriormente, você também deve ficar de olho na compatibilidade entre o suporte, os módulos e o espelho, pois variam de acordo com o fabricante e muitas vezes entre modelos de um mesmo fabricante também. No exemplo anterior, possivelmente o módulo do primeiro interruptor não serviria para o segundo apesar de serem bem parecidos. No entanto, conforme podemos observar abaixo, essa diferença pode ser bem mais evidente, reforçando que devemos ter atenção à compatibilidade entre os itens:

Observe o espelho de qualquer modelo acima, com certeza, não servirá para o módulo de nenhum outro.

Você só vai precisar comprar os suportes, módulos e espelhos na fase de acabamento da obra, mas é importante considerá-los bem mais cedo, na compra e instalação das caixas de passagem, que é o primeiro item desse jogo de encaixe. Ela fica embutida na parede e os conduítes com os fios elétricos chegarão nela. Esse item é sempre adquirido separadamente, não compondo nenhum kit pronto e devemos ficar atentos ao seu tamanho na hora da compra, se é de 2×4 ou 4×4 polegadas, em função de quantos módulos serão instalados nelas. A caixa 2×4 comporta até três módulos e caixa 4×4 comporta até 6 módulos.

Caixas de passagem.

Nos próximos posts veremos em detalhes os demais itens: suporte, módulos e espelhos. Fique atento!


Fonte: Pró-Reforma

Artigo anteriorSeminário AsBEA: “Onde estamos após a aprovação da LPUOS e COE?”
Próximo artigoQual a principal diferença entre CAD e BIM?
Arquiteta e Urbanista pela (FAU/UFRJ + Universidade do Porto). Mestre em Engenharia de Produção (COPPE/UFRJ). Doutoranda em Arquitetura (PROARQ/UFRJ) Criadora da Pró-Reforma (www.pro-reforma.com), ferramenta de apoio à tomada de decisão em projetos da CUG Consultoria, startup residente da Incubadora de empresas da COPPE/UFRJ. Professora substituta do Departamento de Projeto de Arquitetura do curso de graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo UFRJ de 2016 a 2018, ministrando disciplinas de projeto de arquitetura, projeto executivo e projeto de interiores, além disciplina eletiva “relação teoria e prática”, com foco no custo das decisões arquitetônicas. Professora do programa de Educação Continuada do IAB/RJ – IAB Compartilha. Professora da plataforma de ensino a distância EstudeAE Profissional com experiência no desenvolvimento de projetos e no acompanhamento de obras de construção e reformas desde 2007, tendo ocupado o cargo de gerente de projetos na Mareines+Patalano Arquitetura, onde atuou de 2005 a 2013, tendo participação efetiva em todos os projetos desenvolvidos pelo escritório nesse período. Experiência na execução de obras de empreendimentos imobiliários de 2007 a 2009, com atuação no canteiro em todas as etapas de execução, desde as fundações até a entrega da obra. Vencedora do prêmio Arquiteto do Amanhã (IAB/RJ).