No terceiro episódio da série de artigos sobre Lean Construction e os Desafios da Copa da Rússia de 2018 vou abordar um tema que causou bastante bochicho entre os russos quando souberam do resultado da pesquisa realizada pelo Lean Construction Institute da Rússia com diversas empresas que participaram de obras da Copa do Mundo por lá.

O que aconteceu foi que muitas empresas, antes mesmo da Copa do Mundo de 2018, possuíam colaboradores que haviam feito algumas viagens para outros países, para fazer Benchmark sobre a implementação do Lean Construction e também para ver o Lean tradicional em indústrias e outros mercados.

A grande maioria não tinha realizado nenhum ou pouquíssimos projetos na prática, ou seja, ainda não tinham vivenciado toda a jornada de implementação, tanto na empresa quanto nas obras.

A falta de conhecimento em Lean mostrou que boa parte das pessoas ainda não estava familiarizada com os conceitos, ou seja, não tinham experimentado em seu dia a dia nos projetos algo prático e simples, onde pudessem vivencia-los de maneira a aprender, errar, exercitar e também colher resultados, por mais simples que fossem.

Algumas pessoas já haviam feito alguns treinamentos, inclusive internacionais, mas como eu mesmo digo em minhas “Mentorias Consultivas” aqui no IOpEx, nada melhor do que a prática e a implementação no Gemba (local onde as coisas acontecem e de agregação de valor) para que possamos entender se aprendemos realmente.

Outra parte da pesquisa mostrou que, além do baixo nível de conhecimento das pessoas em relação aos conceitos e princípios do Lean tradicional, a grande maioria também não conhecia sobre Lean Construction e, principalmente, não sabia que já existiam metodologias e ferramentas específicas que haviam sido desenvolvidas para o setor da Construção, ou seja, boa parte deles estava onde muitas empresas aqui no Brasil estavam em 2014, quando iniciei meus primeiros projetos em grandes obras.

Quando enviei a eles a lista com uma descrição macro destas metodologias e ferramentas, muitos deles tiveram reações diversas, conforme me relatou Andrey Glaubermann, do Lean Construction Institute da Rússia.

Andrey me disse que no início muitos ficaram desconfiados, afinal de contas é muito mais fácil desconfiar de algo que não conhecemos do que acreditarmos que algo tenha sido realizado e trazido tantos resultados.

Como eu havia assinado contratos de confidencialidade com meus clientes, tanto aqui do Brasil quanto do exterior, não pude enviar a eles nenhum dado detalhado dos projetos, muito menos informações quantitativas, mas algumas empresas me concederam fotos e também alguns vídeos, os quais pude mostra-los para que pudessem servir de argumentação para suas implementações.

Em um dos Skypes que pude participar, mostrei a eles o resumo dos resultados obtidos em alguns projetos e ai a ficha começou a cair para a grande maioria, afinal de contas, nada se opõe aos resultados e aos cases práticos.

Mesmo com alguns deles ainda dizendo que tais projetos haviam sido realizados em outros países (mostrei a eles projetos do Brasil, Estados Unidos, Suíça, Japão e Alemanha) e que a cultura e muitas outras coisas na Rússia eram diferentes, pude perceber que a receptividade começou a mudar. Foi ai que me lembrei de tudo que passei em meus primeiros projetos aqui no Brasil, onde os comentários e as desconfianças foram praticamente as mesmas…

Então, para concluirmos este terceiro tema, posso dizer que a falta de conhecimento está, muitas vezes, ligada a diversos fatores os quais precisamos primeiro entende-los, para posteriormente agirmos e prol de levar algo novo para as pessoas.

Em um ambiente de mudanças, a primeira reação quase sempre é negativa. Ninguém quer sair de sua zona de conforto e é muito mais simples continuar fazendo as coisas como sempre fizemos do que estudar, nos envolver, planejar, implementar, medir, etc. Tudo isso dá trabalho, toma tempo e custa caro…

Neste momento eu gostaria que você que me acompanhou até aqui me respondesse a uma simples pergunta:

– Você está realmente preparado para o Lean Construction?

Caso sua resposta tenha sido SIM, o primeiro passo é se qualificar, ou seja, adquirir os conhecimentos adequados para que você possa iniciar uma Jornada com o Lean Construction em suas obras e na sua Empresa.

Mas caso a sua resposta tenha sido NÃO, sem problema algum. Talvez você ainda não tenha o conhecimento adequado para tomar uma decisão ou mesmo não tenha se ligado de que o futuro da Construção, em todo mundo, já está em torno do Lean Construction.

Meu conselho então é de que você procure o máximo de informações possíveis para poder se decidir, afinal, este é realmente um caminho sem volta, uma jornada rumo à produtividade, redução de desperdícios, custos e prazos e, principalmente, rumo à melhoria contínua e à inovação.

Fico por aqui. Um forte abraço e até o próximo artigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here