Vamos avançar ainda mais com esta Série e neste Artigo eu trago dois outros temas dos 11 levantados pelo Lean Construction Institute da Rússia após a Copa do Mundo de 2018 foram:

Falta de cooperação/envolvimento dos colaboradores

A grande maioria das empresas que se envolveu com Lean Construction e que prestou serviços que estiveram voltados para as obras da Copa do Mundo, não conseguiu ou soube qualificar e envolver os colaboradores nos momentos adequados para que eles fossem o centro do sucesso de seus projetos e dos resultados obtidos.

Tanto por falta de conhecimento quanto de metodologias e ferramentas adequadas, este foi um tema bastante discutido pelo LC Institute de lá.

Ter feito viagens de Benchmark, visto implementação de projetos de outras empresas, ter feito vídeos e fotos de diversas ferramentas implementadas ajudou, e muito, uma boa parte das empresas, mas nada disso tirou deles a dúvida e o fato de que não bastam metodologias e ferramentas, o grande ganho está na Cultura Lean e na sequência correta de implementação.

Em relação à Cultura Lean me refiro ao fato de que uma empresa, assim como nós seres humanos, para adquirir experiência na vida, precisa errar, errar, acertar, corrigir os erros, aprender com eles, melhorar continuamente e seguir girando o PDCA de forma a galgar novos patamares.

Projeto Lean também são assim. Existem diversas metodologias e ferramentas a serem utilizadas, as quais já foram testadas e que comprovam uma enorme eficácia na sua implementação. Porém, em muitos e muitos casos, a adaptação destas se faz necessário e apenas aquelas empresas que possuem uma Cultura voltada para a melhoria contínua, onde os colaboradores se envolvem plenamente em um processo de aprendizado levando-se em consideração os erros e acertos e com o foco na estabilização de uma forma Top-Down, é que conseguem resultados significativos com estas adaptações e, por consequência, a melhoria contínua e os resultados reais em suas obras.

E para que isso aconteça, precisa-se haver o envolvimento pleno e profundo dos colaboradores. A cooperação e envolvimento dos mesmos é, com toda certeza, elemento chave para o sucesso da implementação. Afinal, uma empresa, um projeto e o Lean em si, estão baseados nas Pessoas. A participação ativa, top-down é essencial para que os resultados esperados sejam alcançados com sucesso.

O próximo tema que foi amplamente discutido foi: a Falta de incentivos externos – governo, órgãos públicos, instituições, etc.

Como muitos de nós já sabemos, o Lean se iniciar no Gemba, e a sua expansão para a empresa como um todo é algo certo que, com o tempo, acontecerá.

Já o Lean Construction, como pode ser implementado com sucesso a partir de uma obra ou se iniciando do Corporativo, ele proporciona caminhos distintos e que já foram mais do que provados, serem, ambos, a depender dos objetivos e metas, possíveis de serem percorridos.

Com o tempo, as construtoras que desenvolvem um conceito mais amplo de implementação, acabam desenvolvendo também um Programa de Excelência Empresarial onde o Lean é pilar central para os resultados operacionais de suas obras.

Depois disso, o caminho é envolver também outros Stakeholders nos Projetos, seja governo, órgãos públicos, instituições diversas, enfim, todos aqueles que possuem influência e que podem, de alguma forma, interferir positiva ou negativamente no sucesso dos resultados. Dessa maneira, os princípios, metodologias e ferramentas também devem chegar a estes Stakeholders.

Um elemento surpresa que aconteceu na Rússia foi que a grande maioria destas empresas e instituições não tinham nenhum ou quase nenhum conhecimento sobre Lean Construction e, assim sendo, não “compraram a ideia” ou mesmo, não quiseram se envolver a fundo na jornada. Isso fez com que aprovações e liberações tivessem elevados índices de atraso, que alianças que poderiam ter sido desenvolvidas antes dos Projetos iniciarem, com o foco no que chamamos de Lean Project Design, não acontecessem, que fornecedores que poderiam ter sido compartilhados entrassem em momentos distintos do projeto e, com isso, elevassem os custos dos materiais e da logística, enfim, que diversos temas que envolviam legislações, parcerias e até mesmo o envolvimento com a sociedade, não puderam ser trabalhados da maneira correta e no prazo e custos adequados.

Então, para concluirmos mais estes dois temas que foram levantados pelas empresas na Rússia, cabem aqui alguns aprendizados importantes:

  • O Lean é realizado pelas pessoas. Uma implementação Top-Down com envolvimento pleno de todos os atores durante toda jornada é, sem sombras de dúvidas, um elemento essencial para o sucesso.
  • O envolvimento de todos os Stakeholders de um projeto é de suma importância para os resultados do todo, ou seja, para que todos possam colher os frutos daquela obra. E aqui eu gostaria de ressaltar ainda outro ponto, a prática e a experiência nos diz que, quanto antes envolvermos todos os Stakeholders em um projeto, melhor. Ao contrário do que muitas empresas ainda praticam aqui no Brasil, e que ainda é uma cultura em alguns outros países, realizar a fase de Estratégia de Operações (fase inicial) envolvendo TODOS, simplesmente TODOS os Stakeholders, traz ganhos realmente diferenciados para uma obra.
  • E para finalizar este Artigo, criar uma cultura Lean em uma empresa, que permeie os projetos e traga resultados grandiosos leva tempo. Treinar os envolvidos e proporcionar a eles um envolvimento pleno e com profundidade são fatores cruciais para o sucesso das implementações.

Um forte abraço e até o próximo artigo.