Xales, lareiras e tapetes ajudam, mas existem formas mais eficazes de deixar o frio lá fora. De telhas especiais a pisos de madeira, mostramos uma lista imbatível de soluções de isolamento térmico para você colocar em prática e curtir o inverno com conforto.

Se a casa já está pronta

Se a sua casa já está construída, há algumas alterações que podem ser feitas – das mais práticas às que exigem uma reforma rápida.

1. Escolha bem os revestimentos

“Uma casa com pouca ou nenhuma insolação será sempre um lugar mais frio, mas uma casa mais térmica no inverno será também mais confortável no verão. Os revestimentos cerâmicos ou de porcelanato são mais frios por natureza, então é melhor escolher madeira, vinílico ou carpete”, conta o arquiteto Décio Navarro. Vale lembrar que a madeira é um isolante térmico natural, mas, se uma troca não for possível no momento, cobrir o piso com tapetes é uma alternativa mais em conta.

2. Dê uma atenção especial às paredes

“Se o problema estiver nas paredes, por serem muito finas ou se estiverem sem as camadas de revestimento necessárias, o investimento pode subir muito. Se não for possível aplicar uma textura por fora, no modo mais econômico, um papel de parede mais grosso ou um tecido podem ajudar”, aconselha a profissional Vitoria Gomes. Para a consultoria Arquiteto em Casa, usar tons escuros e quentes, como marrons e vermelhos, instalar painéis de madeira nas paredes, e preferir cortinas com tecidos mais escuros e mais encorpados – como a sarja, o shantung e o linho – faz a diferença. “Para portas e janelas, uma sugestão são as esquadrias em PVC, que possuem bom isolamento térmico, reduzindo a troca de calor e frio entre a área externa e interna”, completam.

3. Vidros e esquadrias podem isolar a temperatura

Se o frio é constante na sua casa, as janelas podem ser um dos grandes problemas. “Se uma casa tem pouca ventilação, o ar frio ou o ar quente não circulam, então uma troca por janelas com vãos maiores pode ajudar nos dois casos. Eliminar as frestas de portas e janelas e colocar tapetes e cortinas pode ajudar a aquecer os ambientes”, diz Décio. Se optar por renovar os vidros, prefira os duplos (como orientamos acima), com esquadrias também duplas se possível. “Os vidros acústicos, embora não tenham essa finalidade a priori, também contribuem para minimizar a entrada do ar frio, especialmente se forem duplos com um espaço entre eles”, explica Vitoria. Outra opção, para que o calor do ambiente não se disperse, é usar vidros de baixa emissividade ou low-e, que “recebem uma camada fina de metal que dificulta a passagem de temperatura de um ambiente para o outro”, recomenda a consultoria Arquiteto em Casa.

4. Invista em tecidos que aquecem

A decoração também tem um papel essencial no conforto da casa: “em dias frios, quando não se quer enfrentar uma reforma, o morador pode usar xales, mantas e almofadas na decoração. Inclusive, nos estofados, opte por tecidos que aqueçam, como veludo, camurça e suede”, conta a consultoria.

Na hora de construir

Para garantir que a sua casa fique mais quente no inverno – e mais fresca no verão – o ideal é pensar em tudo desde o projeto. Abaixo, confira alguns pontos de atenção. 

1. Posição da casa no terreno

Para quem vai construir, é importante pensar na posição da casa em relação à incidência do sol. “A insolação ideal vai voltar os ambientes para a orientação que recebe mais sol no inverno e menos no verão”, explica o escritório Mais Arquitetura 34. No projeto, os cômodos que devem ter prioridade são os quartos. “Para uma casa mais quente e saudável, ela deve ser posicionada de maneira que ao menos os dormitórios recebam o sol da manhã. Aqui no Brasil, principalmente no sul e sudeste, isso significa direcioná-los para a face norte”, diz o arquiteto Décio Navarro. O escritório Arquiteto em Casa lembra que também é importante levar em conta os ventos e as edificações vizinhas.

2. Telhados

A escolha do tipo de telhado para a sua nova casa pode ajudar a manter as temperaturas controladas. “A cobertura com telhas de barro é muito indicada por suas características térmicas”, diz Décio. Mesmo assim, isso não elimina a necessidade de uma laje de forro ou um revestimento interno de madeira ou gesso. “Mantas e outros materiais isolantes, como a argila expandida – utilizada em lajes impermeabilizadas- ajudam a melhorar o desempenho de qualquer solução adotada”, complementa o Mais Arquitetura 34.

3. Paredes

“Na hora da construção, é importante planejar paredes externas mais espessas e de preferência com tijolos de barro, que evitam a passagem do calor e do frio”, aconselha Décio. É preciso ainda fazer um tratamento com hidrofugante do lado de fora da casa para manter as paredes secas. Se as paredes forem de tijolos de concreto, uma solução é revesti-las internamente com uma parede de drywall preenchida com lã de rocha. O paisagista Davi Lima Santos indica revestimentos de madeira para o acabamento.

4. Piso

Fazer um contrapiso com boa impermeabilização para não permitir que a umidade suba para o piso ajuda a manter a casa quentinha. “Antes da construção podem ser previstas mantas para serem instaladas entre o contrapiso e o piso, além de lajes pré-fabricadas com elementos que auxiliam no conforto térmico, como o isopor”, explica os Mais Arquitetura 34. Na hora do acabamento, a madeira natural é a mais indicada, mas há opções mais baratas. “A madeira é um material muito isolante e agradável ao toque, mas hoje existem revestimentos vinílicos que também deixam a casa mais confortável no inverno por isolar das intempéries”, conta Décio.

5. Portas e janelas

Quando o assunto são portas e janelas, a vedação é essencial, mas o tipo de vidro pode ser um grande aliado para espantar o frio. As esquadrias de PVC e madeira apresentam o melhor desempenho termo-acústico. Elas devem ser preenchidas com lã de rocha e ter vedação com borrachas que eliminem as frestas indesejáveis. “O vidro duplo é uma força extra: o colchão de ar entre as suas folhas vai manter o ar gelado lá fora”, afirma o Mais Arquitetura 34.


Fonte: Gabriela Domingues Fachin e Mari Bruno, CASACOR