Este estudo de construção foi baseado em projeto real do Edifício Residencial Melina, com 12 pavimentos, inicialmente projetado para paredes de concreto de 11 cm. Foram feitos os projetos em alvenaria estrutural e em concreto armado convencional, com pilares e vigas.

Para cada sistema de construção foi gerado um memorial de acabamento coerente com o mesmo, procurando deixar o máximo de itens iguais para efeito de orçamento comparativo. Os orçamentos foram feitos por construtoras especializadas em cada sistema construtivo. Estes orçamentos foram feitos em duas situações: apenas um edifício ou conjunto residencial com 10 torres.

Uma das premissas mais importantes foi a existência de uma única equipe básica de produção: para o concreto armado, apenas uma equipe de formas; para a alvenaria estrutural, apenas uma equipe de bloqueiros; e para as paredes de concreto, somente um jogo de formas.

CA_AE_PC

Cronograma para estrutura de concreto armado convencional, com total de 49 meses:

 

artigo2figura1
Cronograma par alvenaria estrutural, com total de 35 meses:

artigo2figura2

Cronograma para paredes de concreto, com total de 24 meses:

artigo2figura3

Os valores apontados têm por base o mês de setembro de 2013.

Os resultados obtidos para a construção de uma torre mostram que a alvenaria estrutural e paredes de concreto têm aproximadamente o mesmo custo, sendo os dois cerca de 20% mais barato que o sistema convencional

artigo2tabela1

 

Já para um empreendimento de 10 torres, o sistema de paredes de concreto fica 20% mais barato que a alvenaria estrutural e 35% mais barato que o sistema convencional

artigo2tabela2

Mas temos dois fatores que afetam bastante os resultados das paredes de concreto: a utilização do jogo de formas e a velocidade do ciclo diário de produção. Vejam na tabela abaixo que o custo relativo varia muito dependendo do número de vezes que vamos utilizar o jogo de formas: toda a vida útil ( estimada aqui em 1000 utilizações ), meia vida, somente em um empreendimento ( 240 utilizações ), e neste último caso, uma outra alternativa, com venda das formas pelo valor residual . A diferença em relação a alvenaria estrutural vai de 10% mais barato até 13% mais caro.

artigo2tabela3

Outro fator que afeta o custo total é a velocidade do ciclo de produção, estimada em uma concretagem por dia, comparado com um ciclo de uma concretagem cada dois dias. Isto alonga o cronograma total para 44 meses (em vez de 24 meses no ciclo diário).

Mas temos dois fatores que afetam bastante os resultados das paredes de concreto: a utilização do jogo de formas e a velocidade do ciclo diário de produção.

Vejam na tabela abaixo que o custo relativo varia muito dependendo do número de vezes que vamos utilizar o jogo de formas: toda a vida útil (estimada aqui em 1000 utilizações), meia vida, somente em um empreendimento (240 utilizações), e neste último caso, uma outra alternativa, com venda das formas pelo valor residual. A diferença em relação a alvenaria estrutural vai de 10% mais barato até 13% mais caro.

Outro fator que afeta o custo total é a velocidade do ciclo de produção, estimada em uma concretagem por dia, comparado com um ciclo de uma concretagem cada dois dias. Isto alonga o cronograma total para 44 meses (em vez de 24 meses no ciclo diário).

artigo2figura4

Vejam que, considerando o custo financeiro (pelo prazo de entrega) temos uma variação de quase 20% no custo do sistema paredes de concreto, praticamente empatando com a alvenaria estrutural.

artigo2tabela4

Vejam que, considerando o custo financeiro (pelo prazo de entrega) temos uma variação de quase 20% no custo do sistema paredes de concreto, praticamente empatando com a alvenaria estrutural.

Observa-se que quanto mais industrializado é o sistema construtivo, mais dependemos dos fatores essenciais para sua utilização:

• Quantidade
• Repetitividade
• Velocidade

23 COMENTÁRIOS

    • Com o inicio das locações de formas, o mercado consegue viabilizar as paredes de concreto em empreendimentos menores. Mas, nestes empreendimentos, devemos ter mais cuidado com o planejamento, pois não teremos muito tempo para absorver a curva de aprendizado. O sistema de locação corresponde no estudo apresentado à utilização máxima de 1000 unidades

    • Isto nem sempre é verdade. Num empreendimento horizontal temos que mover todas os painéis de formas a uma distância maior do que em um prédio. Acho que o ponto ótimo do sistema, com a mão de obra já treinada, são os prédios entre 4 e 8 pavimentos com paredes de 10 cm.

  1. Eu estou trabalhando com módulos de concreto – 4 paredes e laje de forro. Cada módulo é concretado na fábrica, já com os recortes de portas e janelas, eletrodutos e caixas colocados.
    O custo é extremamente inferior ao dos demais sistemas.

    • Este sistema exige equipamento mais pesado. É um sistema totalmente diferente dos aqui descritos, todos totalmente manuais.
      Este sistema pode ser utilizado para prédios ?? Como é feita a ligação entre pavimentos ??

  2. O Sistema com paredes totalmente em concreto armado, sabemos ter uma deficiência no quesito conforto térmico, como ele se enquadra na norma de desempenho ( NBR 15575/2013 ) ?

    • O conforto térmico depende de vários fatores e não apenas do material da parede. A parede de 10 cm de concreto atende a Norma de Desempenho na grande maioria das simulações computacionais realizadas. Por isso, a CEF dispensa a simulação térmica em determinadas situações ( pé-direito mínimo e condições da cobertura ).

  3. Estamos desenvolvendo em parceria com o SENAI-MG, o sistema construtivo Alvenaria Moldada, que consiste basicamente em se inserir também tijolos, (em vez de concreto puro), dentro das fôrmas para paredes de concreto moldadas in loco. O produto final é uma autêntica alvenaria em tijolos, feita porém com a rapidez e praticidade do sistema de fôrmas verticais. Conheça o mesmo no link: https://m.youtube.com/watch?v=E6lBPcHEX6g .

  4. Desenvolvemos junto com o SENAI-MG, o sistema construtivo Alvenaria Moldada, que consiste basicamente em se inserir também tijolos, (em vez de concreto puro), dentro das práticas fôrmas para paredes de concreto moldadas in loco. O produto final é uma autêntica alvenaria em tijolos, (com a mesma qualidade termo acústica), feita porém com a rapidez e praticidade do sistema de fôrmas verticais. A etapa de colocação dos tijolos, chega a ser mais rápida que a preparação e colocação da tela soldada necessária nas paredes de concreto e como na Alvenaria Moldada, 85% do concreto é substituído por tijolos, o custo também é menor. Apresentação no link: https://www.youtube.com/watch?v=E6lBPcHEX6g

    • Sistema construtivo interessante, mas completamente fora da NBR16055. Assim, precisamos verificar toda a viabilidade jurídica do mesmo. Precisam ser feitos todos os ensaios definidos pela norma de desempenho ( mecânicos, térmico, acústico, durabilidade, etc… ) e desenvolver uma diretriz SINAT para que as empresas possam tirar os DATEC. Este é o procedimento mais rápido para permitir a sua aplicação com efeito de Norma, ter financiamentos, etc…

      • Exatamente o que você disse, aliás, só por isso que ainda não está no mercado. Ainda assim temos recebido emails de várias empresas interessadas na tecnologia, que foi inclusive contemplada com o terceiro lugar no “Prêmio CBIC de Inovação e Sustentabilidade”, mesmo não estando totalmente finalizado à época e tendo concorrido com sistemas já sedimentados no mercado. A obtenção do DATec, tem um custo relativamente alto para uma empresa de pequeno porte como a nossa e por isso em estamos tentando negociar uma parceria com uma grande construtora.

  5. Executamos recentemente 4 edifícios de 16 pavimentos 8 por andar em 19 meses em alvenaria estrutural ou seja 2 a 3 lajes mês por torre , com isso a conta do custo indireto mencionada acima teria outro cenário sem uso de gruas ou guindastes. Outro senão é o reembolso das formas na devolução . Este risco também devera ser avaliado .

  6. Boa noite, estou fazendo TCC sobre comparações dos sistemas construtivos, caso precise de algum auxilio ou duvidas a respeito, poderia entrar em contato ou alguma indicação para fazermos entrevistas e visitar alguma obra?
    Obrigado.

  7. Em nossas construções só utilizamos o concreto armado,(vigas e pilares), temos uma redução de 20 % em nosso custo e uma velocidade 4 x mais rápida, tudo isto devido a industrialização da execução, pois 70 % dos serviços são executados em nossa fabrica !!!
    O mais importante, atendemos a NBR 15.5755/2013
    kuller & Sena – Tecnologia em Construção Civil

  8. Bom dia, achei muito interessante este artigo! Podemos agregar também a este assunto nosso método de tralhado chamado de Maturidade. Trata-se de um avanço do método convencional do Controle Tecnológico que, por sua vez, demonstra-se muito eficaz graças a leitura precisa de sensores mergulhados no concreto em cura, onde nosso equipamento consiste em fazer a verificação em tempo real da resistência a compressão e módulo de elasticidade do concreto ao longo do tempo sem a necessidade de extração de CP’s. Outros grandes benefícios deste equipamento e não menos importante é a qualidade/segurança da peça ao desformar sem risco de deformação ou fissuras bem como a redução do ciclo de desforma em um tempo significativamente menor que o período convencional. Por gentileza, entre em contato no email magnum.arruda@liftcargas.com.br e me envie seus contatos para que possamos envia-lo uma apresentação. Abraços,

  9. Do ponto de vista do incorporador , qualquer economia é bem vinda.
    Quando o produto final for classificado como “popular” , sem desmerecer ou ter preconceito com essa denominação , ou seja , fazer um imóvel onde o requisito principal é custar o mínimo possível , desde que o mesmo esteja adequado as normas técnicas em vigor , acredito que essa comparação é justificável.
    Mas em outro cenário , lanço o debate :
    Para o ponto de vista do comprador , que pode ser chamado de investidor , o valor de mercado futuro dessas unidades , construídas nas 3 técnicas estruturais distintas , será o mesmo ?
    Em outras palavras , se tivéssemos 3 prédios com arquitetura idêntica , feitos cada um com uma técnica construtiva , os mesmos teriam valor de mercado idêntico ?

  10. Boa noite. Tenho uma duvida , como foi obtido os prazos para a estrutura de concreto. Utilizou-se os mesmos requisitos de produtividade e potencialidade? Pode concretar 01 laje por semana e assim concluir a estrutura em 3 meses, a partir da 6a concretagem pode iniciar os fechamentos, criando a partir daí um clico perfeito . 03 meses após a concretagem da última laje (6 meses de obras) e platibanda, pode-se iniciar o revestimento externo e com os devidos controles de deformações. Todos os sistemas são interessantes, confiáveis e úteis mas precisamos ter equilíbrio nas análise. Não podemos deixar de lados as tecnologias tradicionais porque elas não são obsoletas e sim mal aproveitadas até hoje. Abs

    • Os prazos foram definidos por construtora especializada em obras deste tipo de sistema. Não foram consideradas todas as melhorias possíveis, nem na obra de concreto armado, nem nas demais. Todo comparativo de custos pode ser sensivelmente alterado pela mudança das definições básicas, tanto de tecnologia como de acabamento.

  11. Minhas considerações seguem a do André Previti. Mas não só do ponto de vista do investidor (comerciante) mas também do investidor usuário final. Entendo as preocupações com custo e prazo, mas venho me questionando ultimamente as consequências desta tentativa de redução de custos por meio de sistema construtivo e tipologias. O mercado está impregnado de unidades executadas em alvenaria estrutural e que não permite mobilidades básicas como pontos de infra e tals para o morador. O resultado para este não está sendo o melhor. Acredito na possibilidade de uma análise aprofundada de todo o processo de de implantação de um novo empreendimento: captação do lote, planejamento, projeto, vendas, execução de obra, materiais básicos, acabamentos, louças, metais entre outros. Talvez no todo, o custo com o sistema construtivo seria indiferente (ou não afetaria tanto) e teríamos a possibilidade de se trabalhar outros sistemas construtivos ou os mesmos citados de forma mais qualitativa. Essa visão visão talvez resultaria em uma incorporadora/construtora com visão à frente no mercado com unidades diferenciadas: até com o valor final de unidade (podemos pegar o habitacional) acima de expectativas do mercado e mesmo assim com um belo resultado em vendas pela sua qualidade. Acredito ser uma longa jornada nestas descobertas. Hoje, não consigo indicar a clientes 80% dos tipos de apartamentos vendidos em SP. Isso por diversos fatores, incluindo o sistema construtivo! Bom, parabéns pelo texto! Só tentei fazer um gancho. abs

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here